Inep divulga Indicadores de Qualidade da Educação Superior 2015 – FACPED
Acesso Online

Inep divulga Indicadores de Qualidade da Educação Superior 2015

Resultado da 2º etapa – Prouni 2017.1
21 de Fevereiro de 2017
FACPED pela terceira vez a melhor faculdade do Ceará, segundo o MEC
9 de Março de 2017
Exibir Tudo

Inep divulga Indicadores de Qualidade da Educação Superior 2015

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou os Indicadores de Qualidade da Educação Superior 2015 durante Coletiva de Imprensa na sede da autarquia, em Brasília, na manhã desta quarta-feira, 8. Os dados foram apresentados pela presidente do Inep, Maria Inês Fini, e revelam, em uma escala de 1 a 5, qual é a avaliação dos cursos de graduação e as Instituições de Educação Superior (IES) brasileiros. Os indicadores, por curso e IES, estão disponíveis para consulta no portal do Inep e no sistema E-MEC.

São três os Indicadores de Qualidade da Educação Superior: Conceito Enade; Conceito Preliminar de Curso (CPC) e Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC). Eles mantêm relação direta com o Ciclo Avaliativo do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) e, portanto, são avaliados segundo as áreas de avaliação vinculadas a um dos três ciclos. Em 2015, foram avaliados os bacharelados nas áreas de Ciências Sociais Aplicadas, Ciências Humanas e áreas afins e os Eixos Tecnológicos em Gestão e Negócios, Apoio Escolar, Hospitalidade e Lazer, Produção Cultural e Design.

Esse universo representou 26 áreas de avaliação, 8.121 cursos, 447.056 participantes. O número de concluintes regulares inscritos no Enade 2015 foi de 549.847, mas apenas são considerados nos indicadores aqueles participantes que fazem as provas e respondem o Questionário do Estudante. O número de IES que tiveram o IGC calculado foi de 2.109.

Resultados – O Conceito Enade (CE) é um indicador de qualidade calculado a partir dos desempenhos dos estudantes concluintes dos cursos de graduação no Enade. O indicador é resultante da média ponderada da nota padronizada dos concluintes na prova de Formação Geral (10 questões, sendo 8 objetivas e duas discursivas, comum para todas as áreas avaliadas) e na Conhecimento Específico (30 questões, sendo 27 objetivas e três discursivas). Em 2015; 3,4% dos concluintes que fizeram o Enade obtiveram o conceito 1; 26,9%, o conceito 2; 42,7%, o conceito 3; 18,8%, o conceito 4 e 5%, o conceito 5.

O Conceito Preliminar de Curso (CPC) é um indicador de qualidade que agrega diferentes variáveis: resultados da avaliação de desempenho de estudantes, ou seja, o Conceito Enade; titulação e regime de trabalho do corpo docente; percepções dos estudantes sobre a organização didático-pedagógica, infraestrutura e as oportunidades de ampliação da formação acadêmica e profissional. O indicador é calculado somente para cursos com, no mínimo, dois concluintes participantes no Enade. Em 2015; 0,3% dos cursos obtiveram conceito 1; 11%, conceito 2; 57,7%, conceito 3; 26,5%, conceito 4 e 1,1%, o conceito 5.

O Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC) é calculado por IES e considera a média dos CPC dos cursos avaliados da instituição, no triênio de referência, ponderada pelo número de matrículas, além da média dos conceitos da avaliação trienal da Capes dos programas de pós-graduação stricto sensu, ponderada pelo número de matrículas. Para instituições sem programas de pós-graduação stricto sensu avaliados pela Capes, o IGC é a média ponderada dos CPC de seus cursos de graduação. Em 2015; 0,4% das IES obtiveram conceito 1; 4%, conceito 2; 67%, conceito 3; 16,6%, conceito 4 e 1,1 conceito 5.

Novidades – Até a edição de 2014, o Conceito Enade (CE) e o Conceito Preliminar de Curso (CPC) eram calculados para cada Unidade de Observação, constituída pelo conjunto de cursos que compõem uma área de avaliação específica do Enade, de uma mesma IES em um determinado município. A partir da edição 2015, o CE e o CPC passam a ser calculados para cada Curso de Graduação avaliado, conforme enquadramento realizado pelas IES em uma das áreas de avaliação, ou seja, por código de curso. Isso permitirá, por exemplo, um olhar mais apurado para as diferenças entre cursos presenciais e à distância de uma mesma IES.

Regulação – Todos os indicadores de qualidade derivam do desempenho de concluintes no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), realizado para aferir conhecimentos, competências e habilidades desenvolvidas pelo estudante ao longo do curso. Todas as ações de avaliação, regulação e supervisão, de cursos já reconhecidos, decorrem das áreas de avaliação do Enade. Embora a avaliação seja responsabilidade do Inep, a regulação é definida pela Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres), do  Ministério da Educação.

Perfil do concluinte – Um dos instrumentos do Enade é o Questionário do Estudante, que permite traçar um perfil socioeconômico do concluinte. Os estudantes que participaram do Enade em 2015 são, em sua maioria, solteiros, brancos, moram com os pais e dedicam de uma a três horas por semana aos estudos. Chama atenção o fato de 33,8% deles serem os primeiros na família a concluir o Ensino Superior. Quarenta e seis por cento dos estudantes concluintes têm renda familiar entre 1,5 e 4,5 salários mínimos; 66,4% trabalham regularmente (excluídos estágios e bolsas) e 48,9% trabalham pelo menos 40 horas semanais.

Atraso – Os indicadores de qualidade da Educação Superior são, tradicionalmente, divulgados, em novembro do ano seguinte à aplicação do Enade. Os dados de 2015, entretanto, sofreram um atraso após o Inep constatar dois problemas de responsabilidade da empresa contratada para operacionalizar o manuseio, distribuição e aplicação das provas: montagem incorreta de alguns pacotes de provas e quantidade de provas insuficiente em algumas salas de aplicação. Após análise sistemática, o Inep constatou que 399 participantes foram afetados por problemas de aplicação no Enade 2015, o que não significa que cursos e IES tenham sido automaticamente afetados para efeito do cálculo dos indicadores. A análise do problema de aplicação encontra-se descrita em uma Nota Técnica no portal do Inep.

Cursos avaliados em 2015 – Bacharelados em Administração; Administração Pública; Ciências Contábeis; Ciências Econômicas; Comunicação Social – Jornalismo; Comunicação Social – Publicidade e Propaganda; Design;  Direito; Psicologia; Relações Internacionais; Secretariado Executivo; Teologia e Turismo; além dos tecnológicos Comércio Exterior, Design de Interiores; Design de Moda; Design Gráfico; Gastronomia; Gestão Comercial; Gestão da Qualidade; Gestão de Recursos Humanos; Gestão Financeira; Gestão Pública; Logística; Marketing; Processos Gerenciais.

  • Clique aqui para acessar o Conceito Enade 2015
  • Clique aqui para acessar o CPC 2015
  • Clique aqui para acessar o IGC 2015
  • Clique aqui para acessar a apresentação com um resumo dos resultados dos indicadores de 2015

Notas Técnicas com as metodologias utilizadas para os cálculos em 2015

Notas Técnicas que descrevem a análise dos problemas de aplicação referentes ao Enade 2015

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *