Acesso Online

Joaquim Colaço Dourado

21/07/1930 | 23/03/2014

São três os Joaquins Dourado, todos eles sacerdotes: Monsenhor Joaquim Martins Dourado; Monsenhor Joaquim de Jesus Dourado e Padre Joaquim Colaço Dourado.

No ano de 1946, o jovem Joaquim Colaço Dourado deixa o lar paterno e ingressa no vetusto Seminário Provincial de Fortaleza, onde realizou os cursos ginasial e científico e cursou Filosofia e Teologia (1946 a 1958).

Em 1958, é acometido por severíssima piora em sua insuficiência renal. Retiram-lhe um rim e o outro apresenta preocupantes e irreversíveis limitações, sendo curto o horizonte de vida que lhe deram os médicos. Em 30/11/1958, Joaquim Colaço Dourado recebeu o Sacramento da Ordem Sacerdotal das mãos de Dom Antônio de Almeida Lustosa, que, ciente das mazelas que acometiam o jovem sacerdote, afirmou: "Se eu soubesse que Você celebraria apenas uma missa, mesmo assim eu teria ordenado." E o pouco tempo de sobrevida previsto se transformaram em 55 anos, 3 meses e 23 dias de pastoreio sacerdotal.

Em 1972, decide ir para Roma cursar mestrado em Psicologia Clínica da Pontifícia Universidade Salesiana, com sede em Roma, onde permanece na assessoria da Reitoria do Pontifício Colégio Pio Brasiliano, até 1976, obtendo o diploma com o título de Mestre em Psicologia Clínica, em 1977. No mesmo ano, retornou ao Brasil, chamado por Dom Antônio para trabalhar e morar no Palácio Arquiepiscopal. No seu rico percurso profissional, o sacerdote exerceu, entre muitos outros, os seguintes cargos: Dirigente da Caritas Diocesana de Fortaleza (1966-1972); Tesoureiro da Arquidiocese (1969-1972); jornalista e apresentador de televisão, com registro profissional na Delegacia Regional do Trabalho do Ceará; professor titular da Faculdade de Filosofia de Fortaleza (da Arquidiocese de Fortaleza), da Universidade de Fortaleza e da Universidade Federal do Ceará; Professor Titular da Faculdade de Filosofia de Fortaleza e membro do Centro de Estudos e Pesquisas do Departamento de Teologia (1977); Diretor da Clínica de Psicologia da mesma Faculdade (1978 e 1979); professor titular de Dinâmica de Grupo e de Psicologia da Personalidade do Curso de Psicologia da Universidade de Fortaleza – UNIFOR; Professor Assistente da Universidade Federal do Ceará – UFC, na área de Psicologia Clínica (1979); Vigário Paroquial da Paróquia Nossa Senhora da Paz (1996); primeiro Pároco de Nossa Senhora de Lourdes (23/04/2000).

Padre Dourado foi agraciado com diversas comendas: a Cidadania Fortalezense, em 22 de maio de 1997, concedida pela Câmara Municipal de Fortaleza; posse na Cadeira n° 20 da Academia Brasileira de Hagiologia, tendo por patrono, por ele escolhido, São Paulo (11 de fevereiro de 2005); Medalha da Ordem Alencarina do Mérito Judiciário do Trabalho; homenagem da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (29 de abril de 2010), por ocasião dos 10 anos da Paróquia Nossa Senhora de Lourdes e de seus 80 anos; Medalha Boticário Ferreira, da Câmara Municipal de Fortaleza, conforme o Requerimento, de n° 4188/2013, de 24 de setembro de 2013, de autoria do Vereador John Santos Monteiro. A Trindade Santíssima veio a seu encontro e o levou para a Casa do Pai, libertando-o de mortais sofrimentos, a zero hora e 10 minutos do Dia do Senhor, domingo, 23/03/2014. Na UTI, só. Como Paulo de Tarso, seu santo paradigma.